Igreja

Igreja Batista de Petrópolis - Manaus/AM

Tudo começou em meados de 1971, com a família do irmão João Pereira Martins que, vindo morar no bairro de Petrópolis e enfrentando problemas com distância e transporte, decidiu fazer contato com alguns irmãos da Segunda Igreja Batista de Manaus para que reuniões fossem realizadas na sua casa.
Com o passar do tempo, a necessidade de se adquirir uma propriedade foi aumentando, especialmente pela chegada de vários irmãos da Igreja Batista 23 de Julho, localizada no interior do Amazonas, mais precisamente no município do Careiro Castanho, BR 319, Km 15, em uma pequena comunidade chamada Chavascal/Jacuraru e que agora migrava para a cidade de Manaus.
 Com o passar do tempo, esse grupo aumentou. Foi então que estes irmãos decidiram adquirir um terreno no bairro de Petrópolis, encontrando uma propriedade na esquina das ruas Cunha Melo com Dr. Paulo Marinho. Neste endereço, começava a Congregação Batista de Petrópolis, como filha da Segunda Igreja Batista de Manaus, na época pastoreada pelo Pr. Richard Walker.
A nova congregação inicia seus trabalhos sob a direção do evangelista Filemon Pereira dos Santos, que permanece liderando até a organização da igreja, no dia 20 de janeiro de 1973, com os seguintes membros fundadores: Antônio Pereira Martins, Ana Gaudino Martins, Antônio Alves de Souza, Antônio José de Souza, Dorval Gomes da Costa, Ester da Silva Martins, Antônia Alves de Souza, Antonieta Alves da Costa, Dâmaris Martins da Silva, Flávio Alves Vieira, João Pereira Martins, João José de Oliveira, João Batista da Costa, Luiza de Melo Martins, Manoel Pereira Martins, Manoel Nazaré Freitas Frutuoso, Lucilene Martins da Silva, Maria Alves de Souza, Maria de Lourdes Alves de Souza, Maria Luiza da Silva, Maria Alves Vieira, Maria José Martins, Maria de Jesus Feitosa Martins, Maria de Fátima Costa, Marilza Vieira de Almeida, Nivaldo Moreira Miranda, Raimundo Pereira Martins, Raimundo Benvindo, Inês Oliveira, José Meneses de Oliveira, Celsa da Silva Palheta e Helena Alves de Lucena.
No dia 05 de agosto de 1973, a igreja convida o pastor Pedro Batalha Rego para assumir o pastorado da igreja, juntamente com a sua esposa, Raimunda Rego. Mesmo vivendo tempos difíceis, a determinação e a dependência de Deus faziam com aqueles irmãos permanecessem firmes em seus propósitos.
A igreja crescia e, a cada dia, as conquistas chegavam, trazendo ânimo, encorajamento e alegria a todos. O tempo passou e os marcos continuam fincados e bem alicerçados. Muitas batalhas foram travadas e inúmeros gigantes foram vencidos, sempre com a mão do Senhor conduzindo e mantendo. Chegar a 38 anos de vida nesta comunidade é um feito significativo e relevante, visto que temos uma lista de bons serviços prestados.
Somos frutos do trabalho de homens que aqui dedicaram suas vidas, jamais medindo esforços para que a obra de Deus alcançasse êxito e sucesso. Dentre estes, temos boas lembranças do querido Pr. Adilson Rigues Gonçalves e sua esposa, Eliana Gonçalves que, por vários anos, pastorearam a igreja, desenvolvendo seu ministério nas áreas de educação cristã, fundamentação bíblica, ampliação do antigo prédio e ensino.
Com a sua saída, assumiu a igreja o jovem seminarista Teodório Soares de Souza, que se preparava na FBTA (Faculdade Batista de Teologia do Amazonas). Como pastor titular, trouxe um novo tempo na vida da igreja que, percebendo o crescimento, logo precisou ampliar o templo e promover para si novas metas e desafios. O então pastor fica no pastorado da igreja por quase dez anos.
Com a sua saída, a igreja convida o Pr. Marcos Valério Almeida da Silva e sua esposa, Kedma da Silva Alexandre, que inauguram uma filosofia de ministério voltada para grupos familiares, ensino e administração e permanecem à frente do ministério por quase cinco anos.
 Antes da saída do casal, o mesmo convida para contribuir como pastor auxiliar o jovem seminarista Aroldo Feitosa Martins, o qual, logo depois de terminar seus estudos, é convidado para assumir a igreja, no dia 04 de agosto de 2001, juntamente com sua esposa Danielle de Souza Alves, liderando-a até o presente momento e desenvolvendo um ministério na dependência do Senhor da seara, pelo qual tem sido sustentado todos estes anos.
Louvamos a Deus pela existência da IBAPE e pelo papel determinante que ela tem desenvolvido ao longo dos seus 38 anos nesta comunidade. Que toda honra, glória e louvor sejam dados ao Senhor Todo Poderoso, porque aqui, as portas do inferno jamais prevaleceram. Amém!